Estão abertas as inscrições para a 2ª turma do Mestrado Profissional

Já está disponível, no site da Universidade Federal de Lavras (UFLA), o edital para o processo seletivo da segunda turma do Mestrado Profissional em Mudanças Climáticas e Agropecuária de Baixa Emissão de Carbono. As inscrições estão abertas até o dia 16 de outubro e o processo seletivo é exclusivo para os interessados e interessadas que já realizaram a pré-inscrição no site do Programa de Capacitação e têm a Declaração de Aptidão.

Para mais informações, acesse: 

Saiba como retirar sua Declaração de Aptidão pelo: https://bit.ly/mestrado-prof

O que é o Mestrado profissional? 

Uma das principais ações do Programa de Capacitação é o Mestrado Profissional, em parceria com a Universidade Federal de Lavras – referência no Brasil na área de Ciências Agrárias. É uma das formas de deixarmos um legado para o campo, com formação profissionalizante e técnica de alto nível! 

O mestrado é voltado exclusivamente para o público-alvo do PRS - Cerrado: produtores(as) rurais, Agentes de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATECs), membros de Organizações Socioprodutivas (OSPs), gestores(as) públicos(as) e demais interessados(as) em ampliar o conhecimento sobre práticas produtivas sustentáveis e de baixa emissão de carbono! 


Sobrevoo do PRS - Cerrado: a vivência mato-grossense

Hoje falamos sobre o Mato Grosso. No estado, atuamos com 3 Microrregiões, 25 municípios e uma área de mais de 155 mil ha de área total de propriedades envolvidas. Nossas atividades acontecem por meio de 32 Unidades Demonstrativas (UDs), 845 Unidades Multiplicadores (UMs) e 10 Organizações Socioprodutivas (OSPs).

Ao todo, contamos com 887 produtores e produtoras rurais mato-grossenses que participam e se beneficiam de nossas atividades. Um deles é José Aparecido Daguano Ferrario, produtor da Fazenda Paulista, uma de nossas Unidades Demonstrativas (UDs) da região de Jaciara (MT). Ele destaca a importância do projeto para superar desafios no campo e dar assistência que atendam futuras exigências do mercado rural.

“O Projeto Rural Sustentável - Cerrado está sendo de extrema importância para todos nós, ele nos mostra que é possível encarar todos os desafios no meio rural, nos apresentando possíveis soluções para o cotidiano do produtor e possibilitando troca de experiências que superam as distâncias do estado. Gostaria de expressar aqui a minha gratidão por tudo e por todos.”

Esta é uma continuidade à nossa série especial de matérias sobre nossas atividades em cada um dos quatro estados de atuação: Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Se você ainda não leu a primeira matéria sobre o estado de Goiás, clique aqui.

Ações de Campo

Nossas atividades em campo visam articular e fortalecer as redes de parceiros, assim como estreitar as relações com produtores(as) rurais. No estado, a Assistência Técnica de Extensão Rural (ATER) para as UDs é realizada por uma das 49 instituições pré-qualificadas. Até o momento, as ATERs já realizaram 64 visitas nas Unidades Demonstrativas do projeto. Além disso,  outra ação importante são os Dias de Campo (DCs). De dezembro de 2021 a julho de 2022, o PRS - Cerrado  realizou 36 DCs no estado de Mato Grosso, com uma média de 43 participantes por evento.

A Coordenadora Estadual Renata Taques ressalta que o Mato Grosso possui desafios territoriais e regulatórios, mas que o Projeto chegou como uma iniciativa promissora para o estado. “O campo necessita do nosso olhar e os produtores e produtoras rurais carecem do conhecimento e assistência técnica qualificada que estão sendo oferecidos pelo projeto, seja com ações presenciais como a ATER e os dias de campo, bem como as atividades de ensino a distância. Tem sido gratificante fazer parte do trabalho e ver o sorriso no rosto de cada pessoa!”

Saiba mais detalhes sobre nossa atuação no campo: https://www.ruralsustentavel.org/frente-de-atuacao/campo/

Ações de Capacitação

O EaD Introdutório, parte de nossas ações de capacitação, feito em parceria com o Canal Futura, da Fundação Roberto Marinho, é aberto para todos(as) que desejam se aperfeiçoar em conceitos envolvendo mudanças climáticas e estratégias de desenvolvimento rural sustentável. Até o momento, 34 mato-grossenses estão inscritos(as) no EaD, dando mais um passo para expandirem os seus conhecimentos.

No Mestrado Profissional, em parceria com a Universidade Federal de Lavras (UFLA), pessoas com nível superior buscam a pós-graduação stricto sensu para aprimorar os seus conhecimentos em práticas produtivas sustentáveis. A engenheira agrônoma Raimunda de Mello, do município de Barra do Garças (MT), é uma dessas estudantes.

“O cenário climático atual exige profissionais bem preparados para disseminar práticas produtivas sustentáveis e uma agropecuária de baixa emissão de carbono. Esse mestrado chegou trazendo a possibilidade de aprender e renovar o conhecimento sobre o impacto das mudanças climáticas na agropecuária e ajudar na difusão do conhecimento com base científica”, destaca Raimunda.

Outra ação de sensibilização e empoderamento é a popularização da produção rural sustentável nas escolas de Ensino Fundamental e Médio. No estado, 11 escolas participam destas atividades, sendo 36% delas rurais e 55% urbanas.

Confira mais detalhes sobre nossa frente de capacitação: https://www.ruralsustentavel.org/programa-de-capacitacao/ 

Ações de Pesquisa

No estado, desenvolvemos ações com 10 projetos de pesquisa e investimento de recursos na ordem de mais de R$ 1 milhão de reais. Por um lado, temos as Pesquisas Direcionadas, que contam com a expertise da Embrapa, e possuem o objetivo de realizar diversos estudos, que envolvem potenciais de mitigação de GEE por meio da implantação dos sistemas de integração a índices de desmatamento evitado, assim como tantas outras. Por outro, por meio de editais, atuamos em conjunto com outras instituições de ensino e pesquisa, como Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS),  Instituto Federal do MS (IFMS) e Instituto Homem Pantaneiro (IHP).

Veja os detalhes: https://www.ruralsustentavel.org/frente-de-atuacao/pesquisas/ 

Ações de Finanças Verdes

No estado foram realizadas oficinas de estudos sobre incentivos fiscais, tributários e creditícios para agropecuária de baixa emissão de carbono. Além disso, contamos com a certificação da produção, que também é um dos braços de atuação do projeto na área de Finanças Verdes. Até o momento, todas as 32 UDs de Mato Grosso receberam técnicos (ATECs), que aplicaram um primeiro diagnóstico, avaliando a propriedade como um todo e sua proximidade com os esquemas de certificação considerados  promissores para a região.

O conceito da certificação aproxima nossos atores rurais a boas práticas de gestão e produção, com base em padrões mundiais de sustentabilidade. Quem realiza esse contato em campo são os Agentes de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATECs), que em Mato Grosso são mais de uma dezena. Para qualificar as ações do projeto, todos(as) os(as) ATECs participaram dos cursos de 6 esquemas de certificação: FSC (Forest Stewardship Council ou Conselho de Manejo Florestal), Rainforest Alliance (Aliança para Floresta Tropical), Certifica Minas, Carne Carbono Neutro (CCN), Orgânicos Brasil e RTRS (Round Table on Responsible Soy ou Associação Internacional de Soja Responsável).

Sobre o Projeto

Somos resultado de uma Cooperação Técnica aprovada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), com recursos do Financiamento Internacional do Clima do Governo do Reino Unido, tendo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) como beneficiário institucional, o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS) como responsável pela sua execução e administração. A Embrapa é a responsável pela coordenação científica e a Associação Rede ILPF pelo apoio técnico.


Confira a agenda dos Dias de Campo do PRS-Cerrado em setembro

Em setembro, o PRS-Cerrado irá realizar 18 eventos, em 16 municípios localizados nos quatro estados de atuação do Projeto: Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Estes eventos têm o intuito de sensibilizar produtores(as) rurais para a implementação da agropecuária de baixa emissão de carbono, a partir de palestras e troca de experiências com outros produtores e produtoras que já possuem uma produção sustentável.

Durante os Dias de Campo (DCs), são debatidos temas relacionados às áreas de atuação do PRS-Cerrado, como manejo sustentável, educação ambiental e outras estratégias para implantação da agropecuária sustentável e integrada, sistemas agroflorestais, recuperação e manejo de pastagens degradadas.

Caso tenha interesse em participar, procure o(a) monitor(a) de sua região: https://www.ruralsustentavel.org/projeto/como-atuamos/

Confira as datas de cada evento no mapa abaixo:


Estão abertas as pré-inscrições para a 2ª turma do Mestrado Profissional

As pré-inscrições para o processo seletivo da Segunda Edição do Mestrado Profissional em Mudanças Climáticas e Agropecuária de Baixa Emissão de Carbono já estão disponíveis em nosso site! Novos interessados e interessadas, assim como aqueles(as) que já participaram das pré-inscrições da primeira turma, devem fazer esta etapa para poderem participar da seleção da UFLA. 

A pré-inscrição tem o objetivo de verificar se os(as) interessados(as) fazem parte do público-alvo do projeto e atuam em sua região de abrangência. Após avaliação interna, será emitida uma Declaração de Aptidão, documento necessário para se inscrever no processo seletivo via site da UFLA, cujo edital está programado para ser lançado no início de setembro. Lembrando que a pré-inscrição e a Declaração de Aptidão não asseguram a vaga no Mestrado.

Acesse o portal do Programa de Capacitação pelo: https://bit.ly/mestrado-prof

O que é o Mestrado profissional? 

Uma das principais ações do Programa de Capacitação é o Mestrado Profissional, em parceria com a Universidade Federal de Lavras – referência no Brasil na área de Ciências Agrárias. É uma das formas de deixarmos um legado para o campo, com formação profissionalizante e técnica de alto nível! 

O mestrado é voltado exclusivamente para o público-alvo do PRS - Cerrado: produtores(as) rurais, Agentes de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATECs), membros de Organizações Socioprodutivas (OSPs), gestores(as) públicos(as) e demais interessados(as) em ampliar o conhecimento sobre práticas produtivas sustentáveis e de baixa emissão de carbono! 


Divulgado resultado da 1ªChamada de pré-qualificação de monitores(as) e pareceristas

Está disponível o resultado da 1ª Chamada de pré-qualificação de monitores(as) de EaD e de pareceristas técnicos(as) do Projeto Rural Sustentável – Cerrado. O objetivo do processo foi mapear profissionais técnicos para a realização dos trabalhos e buscar a maior rotatividade para a prestação dos serviços. Os profissionais ficarão em nosso cadastro reserva e poderão ser contratados para exercer as funções até o fim do projeto, em 2025.

>>Confira o resultado<<

Entendendo melhor os serviços de pareceristas e de monitores

Com os pareceristas, o objetivo é formar um corpo técnico que avalie propostas e analise a qualidade de produtos e serviços, assim como contribuir na seleção de propriedades rurais. 

Já os monitores atuarão à frente do curso EaD Avançado em Mudanças Climáticas e Desenvolvimento Rural Sustentável no Cerrado, uma das frentes do Programa de Capacitação do Projeto. O objetivo do programa é capacitar, treinar e sensibilizar em torno das práticas sustentáveis e da agropecuária de baixa emissão de carbono.


Sobrevôo do PRS - Cerrado: um aprendizado goiano

O PRS - Cerrado começa hoje uma série especial de matérias sobre nossas atividades em cada um dos quatro estados de atuação: Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. 

No estado de Goiás, atuamos com 3 microrregiões, 25 municípios e, considerando o total de propriedades envolvidas, em uma área de mais de 38 mil ha. Nossas atividades acontecem por meio de 43 Unidades Demonstrativas (UDs), 596 Unidades Multiplicadores (UMs) e 7 Organizações Socioprodutivas (OSPs).  De modo geral, as atividades produtivas no estado se caracterizam pela agricultura e a pecuária, especialmente como atividades "monoprodutivas", ou seja, há muito potencial e espaço para a implementação de sistemas integrados, como a ILPF.

Ao todo, contamos com 646 produtores e produtoras rurais goianos que participam e se beneficiam de nossas atividades diretas. Um deles é Adriano Martins Barbosa, produtor de uma Unidade Demonstrativa, na região de Santa Cruz de Goiás (GO). 

“Temos muitas possibilidades em conjunto com sistemas integrados, como a ILPF, que requer um manejo do solo, onde você vai ter uma máxima eficiência do aproveitamento que tem aqui e sequestrando mais para poder estar agregando no sistema de produção”, ressalta. 

Além da redução das emissões de gases de efeito estufa na atmosfera pela inserção do componente florestal na lavoura e na pecuária, bem como pela recuperação das pastagens degradadas, as tecnologias também reduzem a necessidade de adubação química e a utilização de defensivos agrícolas, visto que aumenta a  diversidade de espécies cultivadas na propriedade.

Ações de Campo

Nossas atividades em campo apoiam, monitoram e executam as atividades e ações do projeto nos estados e municípios de abrangência. O objetivo é articular e fortalecer as redes de parceiros, assim como estreitar as relações com produtores(as) rurais.

Uma dessas ações é a Assistência Técnica de Extensão Rural (ATER) para as UDs, feita por uma das 39 instituições pré-qualificadas em Goiás. Entre as ações está a  adequação das UDs, que visa atender o programa piloto de certificação da produção e a adoção de boas práticas de gestão, aumentando assim a sustentabilidade ambiental, social e econômica dessas propriedades. Outra ação importante são os Dias de Campo (DCs). De novembro de 2021 a  julho de 2022, o PRS - Cerrado  realizou 33 DCs no estado de Goiás, com uma média de 40 participantes por evento.

“O projeto possibilita mostrar na prática que é possível e viável economicamente promover a sinergia de componentes em sistemas integrados e de recuperação de pastagem degradadas, como forma de aumentar a produtividade e renda, e reduzir o impacto ambiental”, ressalta a Coordenadora Estadual do projeto, Josyany Duarte.

Ações de Capacitação

Capacitar, treinar e sensibilizar! Esse é o objetivo do Programa de Capacitação do PRS - Cerrado. O EaD Introdutório é uma de nossas ações, feito em parceria com o Canal Futura, da Fundação Roberto Marinho, e aberto para todos e todas que desejam se aperfeiçoar em conceitos envolvendo mudanças climáticas e estratégias de desenvolvimento rural sustentável. Até o momento, 56 goianos estão inscritos no EaD, dando mais um passo para expandirem os seus conhecimentos.

No Mestrado Profissional, em parceria com a Universidade Federal de Lavras (UFLA), pessoas com nível superior buscam a pós-graduação stricto sensu para aprimorar os seus conhecimentos em práticas produtivas sustentáveis. Dennys de Azevedo, engenheiro agrônomo de Quirinópolis (GO), é um desses estudantes. 

“A sustentabilidade é uma área que vem nos trazendo muito conhecimento quanto à questão da agricultura de baixo carbono, que hoje é um momento de extrema relevância para o planeta. Tenho certeza que, com essa turma do mestrado, vamos conseguir gerar bons frutos para o futuro”, comemora.

Temos, ainda, uma ação de sensibilização e empoderamento de popularização da produção rural sustentável nas escolas de Ensino Fundamental e Médio. No estado, 10 escolas participam destas atividades, sendo 70% escolas do campo e 30% urbanas.

Ações de Pesquisa

No estado, desenvolvemos ações com 6 projetos de pesquisa e investimento de recursos na ordem de mais de R$ 2 milhões de reais. Por um lado, temos as Pesquisas Direcionadas, que contam com a expertise da Embrapa, por meio de uma das 7 URTPs (Unidade de Referência de Tecnologia e Pesquisa). O objetivo é a realização de diversos estudos, que envolvem potenciais de mitigação de GEE por meio da implantação dos sistemas de integração a índices de desmatamento evitado, assim como tantas outras. Por outro, por meio de editais, atuamos em conjunto com outras instituições de ensino e pesquisa, como a Universidade Federal de Goiás, Universidade de Brasília e Instituto Federal Goiano.

Ações de Finanças Verdes

A identificação de recursos disponíveis via políticas públicas em diferentes níveis, além das instituições financeiras, é essencial aos beneficiários do projeto. No estado foi realizada oficina de estudos sobre incentivos fiscais, tributários e creditícios para agropecuária de baixa emissão de carbono.

A certificação da produção é também um dos braços de atuação do projeto na área de Finanças Verdes. Até o momento, todas as 43 UDs de Goiás receberam técnicos (ATECs), que aplicaram um primeiro diagnóstico, avaliando a propriedade como um todo e sua proximidade com os esquemas de certificação considerados  promissores para a região.

O conceito da certificação aproxima nossos atores rurais a boas práticas de gestão e produção, com base em padrões mundiais de sustentabilidade. Quem realiza esse contato em campo são os Agentes de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATECs), que em Goiás são mais de uma dezena. Para qualificar as ações do projeto, todos(as) os(as) ATECs participaram dos cursos de 6 esquemas de certificação: FSC (Forest Stewardship Council ou Conselho de Manejo Florestal), Rainforest Alliance (Aliança para Floresta Tropical), Certifica Minas, Carne Carbono Neutro (CCN), Orgânicos Brasil e RTRS (Round Table on Responsible Soy ou Associação Internacional de Soja Responsável).

Sobre o projeto

Somos resultado de uma Cooperação Técnica aprovada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), com recursos do Financiamento Internacional do Clima do Governo do Reino Unido, tendo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) como beneficiário institucional, o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS) como responsável pela sua execução e administração. A Embrapa é a responsável pela coordenação científica e a Associação Rede ILPF pelo apoio técnico.


Têm início os Comitês Técnicos Microrregionais do PRS - Cerrado

Durante a semana de 08 a 11 de agosto, iniciamos mais um importante nível de governança no PRS - Cerrado: os Comitês Técnicos Microrregionais (CTMs). O objetivo é instituir um grupo de debates, trocas de experiências e encaminhamento de ações a nível local, composto por secretarias municipais de agricultura, meio ambiente ou equivalentes, junto a secretarias de educação, instituições de pesquisa, científicas e acadêmicas, instituições de assistência técnica (ATERs), Organizações Socioprodutivas (OSPs), além dos outros beneficiários diretos do PRS - Cerrado.    

Ao longo da semana, foi realizada a primeira rodada de reuniões que contou,  ao todo, com mais de 130 instituições participantes, com um público total de 151 pessoas ao longo das reuniões. “Esses comitês fazem parte da estratégia de governança local do projeto e reúnem nossos beneficiários em cada uma das 13 microrregiões em um espaço integrativo, cooperativo e sinérgico que impulsiona o bom andamento do projeto”, explica a Coordenadora de Campo, Marília Ramos.

Durante os encontros, os temas versaram sobre o apoio local na execução das ações que reflitam os principais objetivos do projeto e contribuam para os resultados almejados aos(às) beneficiários(as). Ocorrendo semestralmente, cada reunião pontua as principais atividades e possíveis ferramentas que ajudem na execução em sinergia com os atores locais envolvidos com o PRS - Cerrado. 


Finalizada as apresentações das empresas de PNs às OSPs

Entre os dias 28 de julho até 12 de agosto, realizamos as apresentação das instituições contratadas para desenvolver os Planos de Negócios (PNs) em conjunto com as Organizações Socioprodutivas (OSPs). Ao longo deste período, foram realizados 10 encontros virtuais, tendo a participação de 125 pessoas, dentre representantes das 41 OSPs beneficiadas pelo PRS-Cerrado, representantes das 10 empresas que irão desenvolver os Planos de Negócios,  além das equipes do PRS - Cerrado de Finanças Verdes e Campo.

O objetivo foi apresentar às empresas para suas respectivas OSPs, que estarão atreladas em cada etapa de trabalho. Desta forma, cria-se dinamismo nas ações, familiaridade entre os (as) técnicos(as) das empresas, os (as) representantes das OSPs, e produtores e produtoras, além de facilitar o processo de comunicação. 

A próxima etapa envolve o início das consultorias virtuais para realizar as agendas de diagnóstico em campo, que servirá como subsídio para os PNs.

Sobre o Plano de Negócio

O Plano de Negócios é uma ação estratégica para fortalecimento e estruturação das OSPs. Busca, junto a essas organizações, identificar e propor soluções que envolvam suas principais atividades, negócios e cadeias produtivas em que está inserida e seu papel dentro dela, além de diversas ações em áreas de governança e gestão. É um instrumento importante para ampliar e fortalecer o papel e as competências destas Organizações.

O papel das OSPs para o PRS – Cerrado

As OSPs são cooperativas, associações, sindicatos e outras formas de organização que agregam produtores e produtoras rurais, com intenções comuns. A nucleação das ações ro PRS - Cerrado é desenvolvida a partir das Organizações Socioprodutivas — referências também para as articulações com os atores do projeto, desde as famílias de produtores(as) até agentes e instituições de assistência técnica. É por meio da estruturação dessas instituições que buscamos fortalecer a implementação das práticas produtivas sustentáveis apoiadas por nós  em pequenas e médias propriedades: Sistemas de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), entendidos como sinônimos de Sistemas Agroflorestais (SAFs), e Recuperação de Pastagens Degradadas (RPD).  

Com base no fortalecimento das OSPs e da implantação das tecnologias apoiadas pelo PRS – Cerrado, o projeto busca a transição para uma agricultura de baixa emissão de carbono e a construção de um legado de sustentabilidade na área rural do bioma.


Prorrogado resultado da 1ª Chamada de pré-qualificação de monitores e pareceristas

Atenção! Na próxima quarta-feira, 24/08, sairá o resultado da 1ª Chamada de pré-qualificação de monitores(as) de EaD e de pareceristas técnicos(as) do PRS - Cerrado. Devido ao grande número de propostas submetidas, adiamos a divulgação.

Agradecemos a todos e todas que submeteram candidatura! Continuem conectados(as) às nossas mídias oficiais para acompanhar todas as informações.

Confira o Edital de Retificação


Finalizadas as visitas às escolas participantes das Ações de Popularização

Entre junho e agosto deste ano, realizamos as primeiras visitas às 44 escolas participantes das Ações de Popularização da produção rural sustentável, que estão distribuídas pelos quatro estados de atuação do projeto: Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Facilitadores(as) e educomunicadores(as) contratados pelo projeto apresentaram as propostas das ações desenhadas pelo projeto para as escolas e construíram, junto ao Comitê de Gestão Escolar (representantes da diretoria, docência e estudantes), o Plano de Implementação da Jornada de Aprendizagem. 

O Plano é o instrumento que pactua a trajetória que será percorrida e o calendário das atividades pedagógicas que serão desenvolvidas ao longo do semestre. Segundo a Gerente  de Empoderamento Social do PRS - Cerrado, Denise P. Agustinho, as Ações de Popularização já estão entrando nos conteúdos programáticos das escolas. “Esse primeiro contato foi muito importante e as duplas de facilitadores(as) manifestaram grande entusiasmo com as ações que as escolas já desenvolvem na temática da produção rural sustentável e com a possibilidade de sinergia com o projeto.” O próximo passo das Ações envolvem o início da Jornada de Aprendizagem. 

Saiba mais sobre o Programa de Capacitação do PRS - Cerrado: ruralsustentavel.org/programa-de-capacitacao