Programa de Capacitação do PRS - Cerrado já tem data de lançamento

Voltado para a capacitação, treinamento e sensibilização dos atores chave do projeto em torno da produção rural sustentável, o Programa de Capacitação do PRS - Cerrado já tem data de lançamento: 14 de dezembro. O evento será online, pelo canal do IABS no Youtube, e contará com a participação de representantes dos parceiros institucionais do projeto - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Governo do Reino Unido -, além de representantes dos parceiros pedagógicos do Programa, Canal Futura e Universidade Federal de Lavras (UFLA). O evento ocorre a partir das 17h. 

Confira a programação completa aqui.

Sobre o Programa de Capacitação

A iniciativa inovadora tem um olhar inclusivo e voltado também para o futuro, questões sociais, com a transversalidade de gênero e juventude. Há uma série de ações formativas envolvendo produtores e produtoras rurais, membros de organizações socioprodutivas, agentes de assistência técnica, gestores e gestoras públicas, estudantes e outros(as) interessados(as). 

O Programa de Capacitação está estruturado em 4 frentes de aprendizagem: Educação a Distância (EaD); Cursos Presenciais e Dias de Campo; Mestrado Profissional; e Empoderamento Social. 

Não perca o evento e fique por dentro de tudo que o PRS - Cerrado tem programado para suas ações formativas!


Seminário de Integração das Pesquisas debate ciência e desenvolvimento sustentável

Com olhar voltado ao debate científico sobre agropecuária de baixa emissão de carbono e temas importantes para o desenvolvimento sustentável, o PRS - Cerrado promoveu nesta terça-feira, 07/12, o evento de lançamento do Seminário de Integração das Pesquisas. São 35 pesquisas apoiadas, somando quase 13 milhões destinados a formar massa crítica acadêmica em torno da  prática agropecuária mais sustentável e eficiente com a utilização de tecnologias de baixa emissão de carbono, apoiando sempre ideias inovadoras e sua contribuição efetiva para a sociedade.  

O evento online, com transmissão pelo canal do IABS no Youtube, contou com a participação de representantes do arranjo institucional do projeto e apresentações técnicas. Durante os dias 08 e 09 de dezembro, está sendo realizado um encontro de integração para pesquisadores(as) debaterem suas linhas de atuação e buscar integrá-las para melhor aproveitamento de seus resultados para o projeto.

Na mesa de abertura, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Tereza Cristina, destacou a importância da pesquisa no desenvolvimento da agricultura brasileira. “Treze milhões de reais foram colocados para essas pesquisas para que a agropecuária de baixa emissão de carbono do Brasil possa ser cada vez melhor. Isso é agricultura brasileira movida à ciência”. A mesa contou ainda com o secretário de Inovação, Desenvolvimento Sustentável e Irrigação do MAPA, Cleber Soares.

Na sequência, foi a vez do Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa, Guy De Capdeville, que chamou atenção para o desafio de mostrar ao mundo a sustentabilidade na agropecuária brasileira. “Para avançar com esses temas na área do Cerrado e que eventualmente vão avançar para outras áreas desafiadas que encontramos no país, se torna fundamental uma iniciativa como essa, tocando esses projetos integrados. Nós temos uma série de desafios que são conectados à sustentabilidade”. O seminário teve continuidade com a fala do representante do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no Brasil, Morgan Doyle. “O que nos empolga nessa etapa do projeto é que, mobilizando a ciência aplicada, vamos impulsionar a inovação e ajudar a mitigar as emissões de gases de efeito estufa”, ressaltou Doyle. A mesa de abertura foi encerrada com o discurso do chefe de Clima e Crescimento Verde do Governo Britânico, Richard Ridout. 

Apresentações técnicas

Após o primeiro momento, teve início a parte de apresentações técnicas no Seminário. A Diretora do Departamento de Produção Sustentável e Irrigação, Mariane Crespolini, destacou o papel da pesquisa na evolução da agropecuária brasileira. “Na década de 1970, o Brasil era importador líquido de feijão, alimento básico da nossa cesta básica, O que nos moveu para frente foi a ciência. Falando de agricultura de baixa emissão de carbono, não temos como não mencionar o plantio direto, onde conseguimos trazer mais resiliência para nossa produção”, disse Crespolini. 

Ainda nas apresentações técnicas, Luis Tadeu Assad, diretor-geral do PRS - Cerrado e diretor-presidente do IABS, explicou sobre as temáticas e números do projeto, seguido por Renato Rodrigues, coordenador científico do Projeto Rural Sustentável - Cerrado, que apresentou sobre as ações desenvolvidas pela Frente de Pesquisa e Desenvolvimento. 

Livro das pesquisas

A última fala do seminário foi da coordenadora de Pesquisas do PRS - Cerrado, Marcella Vidal. A apresentação trouxe um panorama das 35 pesquisas científicas apoiadas pelo PRS – Cerrado e também o lançamento da primeira versão do Livro das Pesquisas do projeto. O material traz informações a respeito de ações de pesquisa desde 2019 até os dias atuais, contendo detalhes como resultados e impactos esperados, histórico de desenvolvimento das Pesquisas Direcionadas, metodologia do processo seletivo do Edital de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), bem como informações individuais sobre cada projeto que está sendo apoiado pelo PRS - Cerrado. 

Em sua fala, a coordenadora também fez o lançamento do Mapa Interativo das Pesquisas, que servirá como uma ferramenta para a divulgação dos avanços e resultados das pesquisas apoiadas pelo PRS-Cerrado. Hospedado no site do projeto, o mapa irá permitir o acesso de forma interativa a todas as ações e principais resultados, bem como as informações mais relevantes de cada projeto de pesquisa. Dessa forma, busca-se promover a transparência e a divulgação das ações de pesquisa e facilitar o acesso a informações pela sociedade.

O Seminário de Integração das Pesquisas está disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=FbwJGqHRb1s&t=3796s&ab_channel=IABSTV

 


PRS - Cerrado em números: veja os dados do projeto em Goiás

O PRS - Cerrado começa hoje a série de matérias sobre os números do projeto em cada um dos quatro estados de atuação - Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Em Goiás, no Centro Oeste do País, foram 627 propriedades rurais selecionadas por meio de editais: 45 Unidades Demonstrativas (UDs) e 582 propriedades rurais selecionadas como Unidades Multiplicadoras (UMs). 

As UDs já possuem uma ou mais tecnologias sustentáveis apoiadas pelo projeto: Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) e/ou Recuperação de Pastagens Degradadas (RPD). Elas servem como propriedades-modelo em que estão previstas uma série de ações, como assistência técnica e extensão rural e a execução de um programa-piloto de certificações. Com a realização dos Dias de Campo, essas propriedades impulsionam a implementação de tecnologias sustentáveis e a disseminação de informação entre o público beneficiário do projeto. No estado goiano, as UDs somam 2.824 hectares de área com tecnologia implantada, sendo a Integração Lavoura-Pecuária (ILP) a mais frequente, seguida pela Integração Pecuária-Floresta (IPF), RPD, ILPF e, por fim, Integração Lavoura-Floresta (ILF).

Já as UMs são as propriedades que ainda irão implementar uma agropecuária de baixa emissão de carbono. No estado de Goiás, ao todo, os(as) produtores(as) pretendem implantar 649 tecnologias, número maior do que o total de propriedades já que um(a) mesmo produtor(a) pode implementar mais de uma tecnologia de baixa emissão de carbono. A maior parte pretende introduzir Recuperação de Pastagens Degradadas, seguido pela Integração Lavoura-Pecuária, Pecuária-Floresta, ILPF e Lavoura-Floresta. Em relação ao gênero dos(as) beneficiários(as), 67% são homens, 30% mulheres e 3% não declararam. 

As atividades do projeto nas UMs são nucleadas por meio das Organizações Socioprodutivas (OSPs), nome dado aos coletivos de produtores(as) rurais e que, junto ao projeto, apoiam na organização das ações desenvolvidas junto às UMs, de forma a deixar um legado para o campo. Em Goiás, são 7 OSPs atuando em 19 municípios.

O PRS - Cerrado também atua no estado goiano por meio do apoio a pesquisas científicas. As linhas temáticas dos projetos contemplados abordam agropecuária de baixa emissão de carbono, avaliação econômica, desmatamento evitado, inovações tecnológicas e de mercado, Internet das Coisas, Nexus/MRV, Sistemas de Produção - URTP e sustentabilidade na produção agropecuária. Essas pesquisas são executadas por instituições como a Embrapa, Universidade Federal de Goiás, Universidade de Brasília e Instituto Federal Goiano.

 

Dezembro começam os Dias de Campo

Entre 2 e 11 de dezembro, ocorrem os primeiros Dias de Campo (DCs) do PRS - Cerrado. Serão 12 entre os quatro estados de atuação do projeto - Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Esta importante etapa visa a troca de experiências entre produtores(as) rurais, técnicos(as) de assistência técnica e extensão rural, os ATECs, e organizações de produtores(as), as OSPs, para a promoção e disseminação de práticas produtivas sustentáveis. Por meio do diálogo, os DCs proporcionam uma reflexão sobre a forma de produção e os possíveis caminhos de melhorias. É o início da construção conjunta com os(as) beneficiários(as) rumo a um meio rural mais sustentável e inclusivo. Até o final das atividades do PRS - Cerrado, serão mais de 650 eventos. 

Haverá palestras com especialistas em temas apoiados no âmbito do projeto, como estratégias para implantação da agropecuária sustentável e integrada, sistemas agroflorestais, recuperação e manejo de pastagens degradadas.


Dias de Campo do PRS - Cerrado começam em dezembro

Na primeira quinzena de dezembro, começam os Dias de Campo (DC) do PRS - Cerrado. Este importante evento do projeto visa a troca de experiências entre produtores(as) rurais, técnicos(as) de assistência técnica e extensão rural, os ATECs, e organizações de produtores(as), as OSPs, para a promoção e disseminação da adoção de novas tecnologias produtivas. Por meio do diálogo, os Dias de Campo representam o projeto acontecendo na prática e proporcionam uma reflexão sobre a forma de produção e os possíveis caminhos de melhorias. É o início da construção conjunta com os(as) beneficiários(as) rumo a um meio rural mais sustentável e inclusivo. Até o final das atividades do PRS - Cerrado, serão mais de 650 eventos. 

Entre 2 e 11 de dezembro, serão 12 Dias de Campo piloto nos quatro estados de atuação do projeto - Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Haverá palestras com especialistas em temas apoiados no âmbito do projeto, como estratégias para implantação da agropecuária sustentável e integrada, Sistemas Agroflorestais e recuperação e manejo de pastagens degradadas. O PRS - Cerrado garante que todos protocolos de segurança contra a Covid-19 serão seguidos. 

Para saber mais informações dos Dias de Campo, entre em contato com o(a) monitor(a) da sua região. Há também os canais de atendimento do projeto: nosso call center, 0800 038 6616, e Whatsapp, pelo (61) 98413-9285. O contato pode ser feito de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h, horário de Brasília.


Oportunidades abertas para a Frente de Campo do PRS - Cerrado

O PRS - Cerrado está com duas oportunidades abertas para a Frente de Campo do projeto: Gerência Executiva de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) e Gerência Executiva de Dias de Campo. Interessados(as) têm até 28 de novembro para submeter a candidatura. 

As duas vagas exigem experiência comprovada de no mínimo dois anos, residência em Brasília, disponibilidade para viagens e carteira de motorista categoria “B”. A contratação seria por meio de pessoa jurídica e os trabalhos serão supervisionados pela Coordenação de Campo do PRS - Cerrado. 

É desejável, porém não obrigatório, conhecimento da língua inglesa. 

Acesse os termos de referência: 

Gerência Executiva de ATER
Gerência Executiva de Dias de Campo


Programa Rural Sustentável é apresentado durante a COP 26

O Programa Rural Sustentável (PRS) foi apresentado nesta segunda, 08/11, durante a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2021, a COP 26.  O PRS esteve presente na mesa sobre Agricultura Sustentável como Caminho para Preservação Ambiental, o efeito Poupa Terra, moderada pelo  Secretário Adjunto de Inovação e Tecnologia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), e foi representado pelo diretor-geral do PRS - Cerrado e diretor-presidente do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS), Luis Tadeu Assad. A mesa também contou com a participação do presidente da Embrapa, Celso Moretti, do diretor-executivo de Pesquisa e Desenvolvimento da Instituição, Guy de Capdeville, além do assessor técnico da Diretoria de Assistência Técnica Gerencial do SENAR, Rafael Diego Costa.

Os desafios do Programa envolvem a mitigação das emissões de gases de efeito estufa, promover as práticas produtivas de baixa emissão de carbono, principalmente sistema ILPF e Recuperação de Pastagens Degradadas, “mas sempre com o olhar de aumentar produtividade e reduzir o desmatamento ilegal. Tudo isso pensando em retorno de aumento de renda para produtores e produtoras”, destacou Assad.

Na fala de abertura, o moderador e representante do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Cleber Soares, chamou atenção para a evolução do setor agrícola brasileiro. “Ao longo dos últimos 50 anos o Brasil saiu de importador líquido de quase tudo que consumíamos, para hoje sermos uma potência agrícola, sustentável e descarbonizante, pontuou”. Soares destacou o papel da ciência e tecnologia, além da função indispensável da assistência técnica e extensão rural para um desenvolvimento no campo sustentável e produtivo. 

Além do conjunto de ações da atual fase II do Programa nos biomas Caatinga e Cerrado, a apresentação do PRS também destacou os resultados da fase I, desenvolvida na Amazônia e Mata Atlântica, com cerca de 4 mil produtores(as) beneficiados(as) em 70 municípios e mais de 40 mil participantes em ações de capacitação. 

O vídeo completo do debate sobre Agricultura Sustentável como Caminho para Preservação Ambiental, o efeito Poupa Terra está disponível no canal do Youtube do Ministério do Meio Ambiente

Foto: Ministério do Meio Ambiente

Sobre o Programa Rural Sustentável 

O PRS - Mata Atlântica e Amazônia constituiu a Fase I do Programa Rural Sustentável, iniciativa financiada pelo Financiamento Internacional para o Clima (ICF) ,do Governo do Reino Unido, em cooperação com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), tendo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) como beneficiário institucional e executado pelo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS). Atualmente, a atuação do PRS é nos biomas Cerrado e Caatinga, e haverá uma nova extensão para a Amazônia.


PRS divulga livro sobre o papel feminino e da juventude na agricultura brasileira

Valorizar e fortalecer o papel da mulher e da juventude na agricultura brasileira. Esse foi o principal objetivo do Projeto Rural Sustentável - Amazônia e Mata Atlântica, que lança nesta semana o livro Redescobrindo a Família Rural, material que apresenta as ações da Fase I do projeto. O livro ressalta a importância da construção coletiva, traz as lições aprendidas durante o processo, além de resultados alcançados durante as oficinas participativas com as famílias de produtores e produtoras rurais. Ao todo, PRS  - Amazônia e Mata Atlântica colocou 46.472 hectares sob gestão sustentável da terra, evitando diretamente o desmatamento em 8.550 hectares e melhorando a vida de mais de 18 mil pessoas nos dois biomas brasileiros.

Desenvolvido até 2019, com investimentos da ordem de £ 24,9 milhões pelo Financiamento Internacional para o Clima (ICF) do Governo do Reino Unido, o projeto contribuiu de diferentes formas para o enfrentamento das grandes mudanças na agricultura brasileira. Sempre levando em consideração as características de cada território de atuação, o PRS - Mata Atlântica e Amazônia teve papel importante para amenizar a demanda por recursos naturais e reduzir as causas da perda de biodiversidade e degradação dos ecossistemas. 

O livro Redescobrindo a Família Rural traz conteúdo exclusivo gratuito sobre o legado deixado pelo Projeto Rural Sustentável - Amazônia e Mata Atlântica. O material está disponível em português e inglês. Para fazer download, acesse o site do projeto e o site da Editora IABS (português/english)

Sobre o Programa Rural Sustentável 

O PRS - Mata Atlântica e Amazônia constituiu a Fase I do Programa Rural Sustentável, iniciativa financiada pelo Financiamento Internacional para o Clima (ICF) ,do Governo do Reino Unido, em cooperação com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), tendo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) como beneficiário institucional e executado pelo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS). Atualmente, a atuação do PRS é nos biomas Cerrado e Caatinga, e haverá uma nova extensão para a Amazônia.


Mais de 3 mil propriedades rurais selecionadas para o Edital Integrado de OSPs e UMs

O Edital Integrado de Organizações Socioprodutivas (OSPs) e Unidades Multiplicadoras (UMs), do PRS – Cerrado, teve 3.187 propriedades rurais e 42 OSPs selecionadas. Os números superam a meta inicial do edital, que era selecionar 26 organizações e 3.000 UMs. Ao todo, nos quatro estados de atuação (GO, MG, MT e MS), a área total das propriedades soma mais de 275 mil hectares. 

A partir da segunda-feira, 08/11, a equipe do PRS - Cerrado estará disponível para dúvidas. Basta entrar em contato via nosso call center 0800 038 6616 ou mandar uma mensagem de Whatsapp para o 61 9 8413-9285. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h, horário de Brasília. 

Veja aqui o resultado do Edital Integrado de OSPs e UMs

Benefícios do edital

Para cada OSP selecionada, o projeto vai oferecer inicialmente um diagnóstico técnico-participativo, que reúne análise das áreas econômica, tecnológica, gerencial, produtiva, comercial e ambiental, seu papel na cadeia produtiva e na promoção da agropecuária de baixa emissão de carbono. A partir daí, será elaborado em conjunto o Plano de Negócios (PN), com foco no melhoramento da gestão e abertura de mercado. Com base no PN, serão apoiadas demandas coletivas elegíveis para financiamento por meio de Benefícios Coletivos (BCs). Entenda melhor sobre esses Benefícios clicando aqui.

Por meio de ações formativas e capacitação direcionadas, o edital também prevê o fortalecimento institucional das OSPs, a formação de lideranças e a facilitação do acesso a instrumentos financeiros variados.

Para as Unidades Multiplicadoras, além de também terem acesso aos BCs, haverá também assistência técnica e gerencial especializada para implementação das tecnologias sustentáveis apoiadas pelo PRS – Cerrado; acesso às ações formativas e de capacitação; ações de apoio e incentivo do projeto relacionadas com acesso ao crédito rural, certificação, transferência tecnológica; participação nos Dias de Campo, dentre outros.

Aprovadas com restrição

Das 42 Organizações Socioprodutivas selecionadas, 18 estão com o status de “aprovadas com restrição”. São as OSPs que não atingiram número suficiente de UMs e/ou possuem alguma pendência documental. Essas Organizações, até a regularização das documentações ou inclusão de novas UMs, não terão acesso aos BCs, mas poderão acessar os demais benefícios previstos no processo seletivo.


Diversos processos seletivos disponíveis no PRS - Cerrado

O Projeto Rural Sustentável - Cerrado está com seis oportunidades abertas em diferentes áreas: Assessor(a) Administrativo de Campo; Assessor(a) Técnico de Campo; Coordenador(a) Técnico Estadual - MG; Assessoria de Benefícios Coletivos; Gerência de Comunicação e Gerência Executiva em Sistematização de Resultados. Interessados(as) têm até 31 de outubro para submeter a candidatura. 

Para todas as vagas, a contratação será por meio de pessoa jurídica e é necessário disponibilidade para viagens, que serão previamente acordadas conforme as demandas do projeto. Com exceção da vaga para Minas Gerais, os(as) candidatos(as) devem residir em Brasília para trabalho presencial, com disponibilização de espaço físico e condições para o desenvolvimento das atividades na sede do IABS. 

É desejável, porém não obrigatório, conhecimento da língua inglesa.

 

Acesse os Termos de Referência:

Assessor(a) Administrativo de Campo 
Assessor(a) Técnico de Campo 
Coordenador(a) Técnico Estadual - Minas Gerais
Assessoria de Benefícios Coletivos
Gerência de Comunicação
Gerência Executiva em Sistematização de Resultados 


Evento reúne produtores(as), autoridades, especialistas e esquemas de certificação

Voltado ao fortalecimento do conhecimento no processo de adequação e certificação, o Projeto Rural Sustentável - Cerrado promoveu, na quinta, 07/10, o seminário “As certificações como promotoras de boas práticas da agropecuária de baixa emissão de carbono”. Transmitido pelo Youtube, o evento teve mais de 1,2 mil visualizações. Gestores(as) de sete diferentes esquemas de certificação (Forest Stewardship Council - FSC; Rainforest Alliance - RA; Orgânico BR; Certifica Minas; Carne Carbono Neutro-CCN; Rede ILPF e Round Table on Responsible Soy – RTRS) apresentaram as oportunidades para a certificação de sistemas produtivos integrados em pequenas e médias propriedades rurais. 

“Somos uma indústria a céu aberto, o que é um grande desafio para quem está no campo”. Pontuou Mariane Crespolini, diretora de Produção Sustentável e Irrigação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), durante a mesa de abertura do seminário. Ao destacar o papel das cooperações internacionais, das quais o PRS - Cerrado faz parte, Crespolini ressaltou o papel das certificações para o que chamou de duplo desafio nos cenários nacional e internacional para as próximas décadas. “Mudanças do clima e segurança alimentar. O Brasil tem uma política pública que já completa 10 anos, o Plano ABC [que é uma das políticas estruturantes do PRS - Cerrado]. Com tecnologias de baixa emissão de carbono, conseguimos recuperar 52 milhões de hectares. Para o futuro, temos que ter uma produção de alimentos que garanta a segurança alimentar nacional, contribuindo internacionalmente, e também mitigando gases de efeito estufa”, destacou. A coordenadora-geral de Mudanças do Clima e Agropecuária Sustentável do MAPA, Fabiana Alves, também participou do evento. 

Para a representante da Embaixada Britânica, a Gerente do Fundo Internacional do Clima, Ana Paula Gutierrez, a certificação de produtos agropecuários é fundamental. “Já podemos perceber que a demanda de alimentos está aumentando muito. Consumidores e investidores querem saber de onde vem a comida e os produtos que consomem, valorizando a produção sustentável. Quanto mais sinergia essa produção tiver com os padrões ambientais, mais sólida e mais expressiva será a participação brasileira no mercado local e global de produtos florestais e de alimentos”, defendeu. 

Pelo PRS - Cerrado, serão atendidas as  170 Unidades Demonstrativas do projeto, com um diagnóstico da propriedade e um plano de adequação. “Queremos, juntos aos produtores e produtoras rurais, olhar para o futuro, enxergando as oportunidades das certificações”, destacou a coordenadora de Finanças Verdes do PRS - Cerrado, Marcela Miranda.

Ao longo do evento online, os(as) participantes puderam tirar dúvidas com os(as) palestrantes pelo chat do Youtube, e, ao final, o PRS - Cerrado sorteou um kit exclusivo do projeto. O vídeo completo do seminário está disponível no canal do IABS